domingo, 28 de agosto de 2011

As distorções do Tantra

Ouvimos dizer que Yoga é excelente para problemas de coluna, para melhorar a postura e o tônus muscular, não é mesmo? Além de ser uma excelente atividade física, o Yoga também é recomendado para o stress, para Síndrome do Pânico e outros problemas como a ansiedade, pois trabalha a respiração, relaxa e ajuda a concentração, além de trazer alívio para a dor proveniente de artrites, artroses, etc. Não está certo?

E sobre o Tantra? O que ouvimos falar sobre o Tantra? Quem já ouviu falar do Tantra jura que é ótimo para apimentar a relação a dois. Pode aumentar o prazer na hora do sexo, permite ao homem ter orgasmos sem ejacular, não é incrível? Aumenta o seu poder de sedução, o conhecimento do seu corpo, torna você mais sensual. Tem até promoção de cursos de tantra para o dia dos namorados. Surpreenda o seu companheiro!

Pois lamento informar ao leitor que não é bem assim. Alias, não é nada assim! Esse tipo de visão, que temos aqui no ocidente, sobre Yoga e sobre Tantra, é a visão de um entendimento superficial, materialista e consumista, para não dizer comercial e imediatista, que é típico de nossa cultura. Nossa moderna cultura ocidental, ao se deparar com importantes tradições sagradas e religiosas do oriente, ocidentaliza essas tradições e as convertem em terapias alternativas, medicina alternativa ou zen para o corpo e a mente do ocupado homem moderno, que lê sobre elas na banca de jornal e as experimenta no pacote da academia.

É preciso que a gente compreenda em primeiro lugar, que o Tantra e o Yoga são caminhos espirituais! São duas das mais antigas religiões da humanidade! A palavra Religião vem do latim Religare, ou seja, o objetivo ou o esforço dessas tradições é Re-ligar ou Re-unir em você, aquilo que estava separado ou distante. Reaproximar você de seu corpo, religar ou reunir o corpo (perceber), a mente (pensar) e a alma (sentir), reunir suas partes e lhe tornar mais inteiro.  E você sabe o que significa a palavra Yoga na antiga linguagem da Índia? Significa justamente unir, reunir, religar. Tantra significaria aquilo que expande a consciência.

Infelizmente, o que é divulgado sobre Tantra e Yoga entre nós é tão pobre, tão distorcido, que muitas vezes, um praticante tradicional Indiano nem as reconheceria como algo autêntico. É uma mistura de verdades com meias verdade e equívocos, que afastam cada vez mais essas tradições do seu sentido original, inicial, tal como foi ensinado pelos antigos mestres da linhagem e chegam até nós, irreconhecíveis.

Nós inventamos o Power Yoga e espalhamos o Yoga nas academias, junto com Boxe ou Jiu Jitsu e Hidroginástica em excelentes pacotes promocionais. Já tentaram até proibir imagens de Shiva ou Ganesha nas aulas de Yoga para não associar Yoga a essa coisa de religião e assim poder vender mais e melhor! Incrível, mas é verdade! Querem destituir o Yoga e o Tantra de sua prática simbólica e espiritual.

O Tantra virou mesma coisa que sexo tântrico, uma espécie de sexo com incenso, velas e uma musiquinha new age tranquila tocando baixinho no som. Parece que todos se esqueceram de que o objetivo do tantra é a iluminação, é se livrar de vez dos apegos e das amarras da sexualidade, para te tornar cada vez menos “sexual” e cada vez mais livre e consciente. Mas isso não vende muito não é? Isso não é muito pop!

O Yoga virou definitivamente uma fisioterapia esotérica. Ninguém menciona o desapego, a renúncia, a verdadeira meditação e o caminho da iluminação. Não, mas dizem que é bom para a circulação, alonga os músculos, amplia a capacidade pulmonar e a resistência física. Os cursos de tantra mais badalados no momento e os atendimentos mais requisitados são os de massagem tântrica e massagem linghan (pênis) e massagem yoni (vagina), claro que destituídos do ritual sagrado para apimentar a relação e ter muito prazer.

Em resumo, Tantra e Yoga são tradições sagradas, são caminhos espirituais bastante complexos e profundos e reduzi-los a benefícios imediatos de saúde física, prazer sensual e bem estar mental é profanar essas tradições, é desrespeitar os mestres do Yoga e do Tantra como Patanjali, Tilopa, Ramakrishna, Saraha, etc. Busquem o ensinamento verdadeiro dessas tradições, pesquisem em lugares comprometidos com o crescimento espiritual e não vamos deixar que o Yoga e o Tantra sejam entendidos apenas como exercícios físicos alternativos e práticas sensuais para aumentar o prazer e nos prender ainda mais no Samsara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário